A verdadeira versão: Mulher espancada por policiais portugueses explica o que realmente aconteceu
Destaque

A verdadeira versão: Mulher espancada por policiais portugueses explica o que realmente aconteceu

Cláudia Simões, mulher espancada por policiais portugueses, concedeu na passada Terça-feira (21), uma entrevista a TVI, onde explica a verdadeira versão e detalhes daquilo que realmente aconteceu.

A verdadeira versão: Mulher espancada por policiais portugueses explica o que realmente aconteceu

Ademais, tudo aconteceu no passado Domingo (19) quando, Cláudia, estava dentro do autocarro, e falava ao telemóvel com a sua tia.

Segundo a mesma, a tia ligou para informar que a prima foi espancada pelo marido.

A vítima, aconselhou que dessem uma surra ao esposo da prima, assim, o motorista pensou que fosse para ele a quem falavam:

“Eu estava a falar com a minha tia, que me ligou para avisar que a minha prima foi espancada pelo marido.

Eu disse, vocês todos se juntam e dão uma surra no marido da Zelia

e o motorista, acho que pensou que eu estava a falar pra ele”

Portanto, o motorista chamou a patrulha da polícia, o agente da polícia, tentou empurrar a jovem, para fora do autocarro.

A mulher, se defendeu, dizendo que o agente não podia lhe empurrar por ser cidadã:

“O senhor não pode me empurrar porque o senhor é um agente, e um agente não pode se comportar assim.

Eu sou uma cidadã e eu sou uma mulher, o senhor não pode se comportar assim”

Assim sendo, Cláudia Simões, dá as costas e ameaça que vai sentar na paragem, já que o motorista chamou a polícia:

“Foi quando eu estava a virar de trás, eu disse já que você chamou a patrulha,

eu vou sentar na paragem, ele me deu um mata-leão de trás e eu caio no chão.”

A verdadeira versão: Mulher espancada por policiais portugueses explica o que realmente aconteceu

Foi quando a mesma, por desespero de estar a ser sufocada, pelo agente, encontra como escapatória morder o polícia:

“Ele está a me sufocar, estava a me apertar nas goelas,

eu tive que lhe morder, senão eu morria…”

Mulher espancada por policiais portugueses explica o que realmente aconteceu

Além disso, a vítima foi depois, algemada e levada ao carro-patrulha, onde diz ter sido agredida com vários socos da cara.

De tanta agressão, a mesma conta que acabou por desmaiar:

“Eu perguntei, eu ia em que esquadra? Eles não respondiam onde eles haviam de me levar.

O polícia fechou os vidros e meteu música e o polícia que eu briguei, começou a me bater.

Eu tinha as minhas mãos atrás, começou a me bater com muita força.

aquela mão que ele tem ferida, ele estava a querer me tirar os dentes na boca,

porque ele só me dava socos na cara, depois desmaiei.”

A verdadeira versão: Mulher espancada por policiais portugueses explica o que realmente aconteceu

Deste modo, revelou que não chegou a entrar na esquadra, foi abandonada no chão e chamaram a ambulância, devido o tanto de sangue que deitava:

“Eu não cheguei de entrar na esquadras, eles me meteram aí no chão, e chamaram a ambulância,

porque eu estava a deitar muito sangue na boca e no nariz.

E a ambulância, chegou ali, é que me levou para o hospital, momento nenhum fui à esquadra”

A saber, a mulher recebeu tratamento, no hospital Amadora-Sintra.

Em suma, na passada Segunda-feira (20), a cidadã, apresentou queixa contra o agente.

E já se instaurou, o processo de averiguação do agente em questão.

A saber, a vítima está em liberdade.

A verdadeira versão: Mulher espancada por policiais portugueses explica o que realmente aconteceu

Aliás, já que está aqui, uma cidadã foi acusada de matar seu próprio neto, saiba tudo aqui.

Similar Posts