Num debate aberto sobre o estado actual da música angolana, o rapper Phathar Mak destacou que os artistas continuam a cometer os mesmos erros.

Phathar Mak abordou questões acerca da desvalorizar da classe artística.

Citou o factor humanização, como a primeira coisa para construir uma industrial musical.

Os cantores precisam primeiro construir uma estrutura mentalmente para depois passá-lo fisicamente.

“Vejamos 18 salas onde não tem agentes, nem telefonistas, quem vai fazer os shows”

“18 salas onde tem artistas emergentes e não artistas de factos com qualidade, quem vai fazer os shows”

Phathar Mak, ainda frisou da mania que os artistas têm de ensaiar só quando há eventos.

“Há coisa que não podem ser feitas por mim, há equipa que vai fazer o vídeo,

“Eu não sabia que tenho que ficar numa sala”

“Quando eu mandei aquilo para outras pessoas, piores do que eu, imagina, nós não tínhamos nada e dizia vão lhe roubar”

“Nós temos que fazer um trabalho profundo connosco mesmo, em termos de comportamento e comprometimento”

“Por que se olha um advogado como uma pessoa séria e ao artista como um louco?”

“Quem trata assim são os supostos superiores, a própria estrutura e a sociedade que não dão o devido valor ao artista”

“Nós próprios não nos valorizamos, porque estamos a cometer os mesmos erros”, revelou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.