Destaque

DJ Kadú aponta reconhecimento internacional dos discos jockeys angolanos

Os discos Jockeys (dj angolanos já conquistaram a admiração e o respeito a nível internacional pelo seu profissionalismo, afirmou hoje, quarta-feira, o DJ Kadú.

Falando sobre “A actividade dos Discos Jockeys em Angola”, o irmão mais novo de Yuri da Cunha adiantou que, ao contrário de antigamente, em que para uma actividade era convidado dj estrangeiros, hoje os angolanos são chamados a abrilhantar espectáculos em países da Europa, África e mesmo na América.
DJ Kadú ressalta que o profissionalismo apresentado é fruto de muito trabalho ao longo dos tempos com troca de experiência entre dj nacionais e estrangeiros.
“Tivemos uma fase em que trabalhávamos em condições difíceis, já que o material para a prática da profissão, como feitura de misturas e sons de qualidade, era caro e difícil, pois não havia muitas opções de compra no país. Agora tudo mudou e vimos jovens a aparecer com muito talento, aliado à prática”, explicou.
O também produtor musical defende que se deve instituir em Angola prémios para os discos jockeys, de forma a se motivar, cada vez mais, estes profissionais. Natural de Luanda, DJ Kadú, de 27 anos, residente em Lisboa (Portugal), alcançou em 2010 o disco de ouro naquele país com o seu álbum de estreia “Zig Zig”. DJ Kadú participou nos discos “NBA top 10 dos dj (dos melhores dez dj dos PALOP), “África Dance Music” (colectânea de kuduro e house music), “Boas Festas, volume dois” e o disco “Kizomba Lagarise”.

Similar Posts