"Naice Zulu é julgado dentro dos padrões morais de uma sociedade sem moral" Isidro Fortunato
Celebridades | Destaque

Escritor Isidro Fortunato diz que Naice Zulu é inteligente 

O escritor angolano Isidro Fortunato teceu a sua opinião em relação ao comportamento de Naice Zulu considerando-o como sendo uma pessoa inteligente.

Naice Zulu é Inteligente 18K… “Aqueles que governam Angola têm imposto uma governação imoral, mas têm vários anos de governação nos destinos do País, isso chama-se inteligência”

“A inteligência não é património da moral a moral não é património da inteligência, a inteligência é ver o que poucos conseguem ver, é entender fora do convencional, a inteligência é um comportamento diferenciado, anártico de quebrar barreiras é ousadia de ser diferente no meio dos iguais”, esclareceu escritor.

Naice Zulu é julgado dentro dos padrões morais de uma sociedade sem moral

“por vezes pessoas inteligentes são vistas como imorais por desafiar padrões, a moral é um padrão politizado pela sociedade como comportamento correcto”.

“No entanto a inteligência só acontece fora do espaço dogmatizado, a sociedade é este espaço, devido as suas estruturas assimétricas, suas estruturas cásticas e de classissismo, que produzem desigualdade e pobreza, a inteligência é um padrão associado a liberdade individual do individúo, a inteligência emocional e intelectual, as pessoas inteligentes dificilmente entendidas e compreendidas”

Em sociedades que seguem padrões estruturados em filosofias politicamente correctas, ser inteligente é ser livre, é não ser compreendido e ainda assim ser livre é interpretar a sociedade ler seus sinais, contorna-la e tirar melhor proveito dela, os fins neste caso justificam os meios, inteligência é liberdade.

“Naice Zulu é julgado dentro dos padrões morais de uma sociedade sem moral, onde os corruptos estão no poder, a juventude está entregue a alienação, poucos vão admitir que invejam essa liberdade politicamente incorrecta que ele transborda nas suas polémicas, alguém que entendeu que só é possível forjar uma identidade e estar nos holofotes da midia através da irreverência e de polémicas numa sociedade doente onde o banalismo se exerce como um poder oculto, ganhou notoriedade e ao contrário do que esperavam trouxe uma mixtape como poucas são 18K de realismo”.

“Curiosidade: no ano de 1998 Naice Zulu ofereceu-me o primeiro livro sobre NOM(Nova ordem mundial) o homem já lia sobre o Global 2000, Meses depois o meu primeiro livro sobre civilizações Africanas, e desde lá tudo mudou!”

De recordar que  Naice Zulu usou a sua conta oficial do facebook para responder as duras críticas que recebeu no programa Zap News.

 

Similar Posts