Destaque

“I Love Kuduro” exibido em Toronto

O documentário “I Love Kuduro”, do realizador Mário Patrocínio, foi exibido no fim-de-semana em Toronto, inserido no programa do Festival Internacional de Documentário do Canadá, também designado “Hot Docs”, a decorrer desde 24 de Abril até ao próximo domingo.

A película, que retrata o surgimento e a expansão do kuduro – uma mistura dos ritmos tradicionais angolanos kilapanga e semba, com zouk, techno e house – ilustra como esta dança e ritmo ultrapassou as fronteiras das zonas suburbanas de Luanda, nos anos 90, para conquistar o palco nacional.
Idealizado por Coréon Dú, no documentário os artistas Tony Amado, Sebém, Bruno M, Nagrelha, Cabo Snoop, Francis Boy, Titica, Presidente Gasolina, Príncipe Ouro Negro, Sarissari, entre outros, contam, na primeira pessoa, as suas contribuições e experiências no eclodir deste movimento, que está a conquistar o mercado internacional.
“I Love Kuduro”, com a duração de 95 minutos – co-produzido pela Da Banda e a BRO Cinema – foi exibido nas salas do Royal Cinema e Tiff Bell Lightbox, ambos em Toronto, nos dias 24 e 26 de Abril. A película volta amanhã a ser exibida na capital económica do Canadá, na sala de cinema da Scotia Bank.
A Da Banda é uma empresa do Grupo Semba Comunicação, inspirada pela cultura pop angolana, que se dedica a desenvolver talentos e conteúdos de excelência, e o seu lançamento a nível nacional e internacional.
Ficou conhecida quando criou o Festival Internacional “I Love Kuduro”, em 2011, ao viajar pelo mundo para aproximar o kuduro dos seus seguidores, através de eventos como os espectáculos “I Love Kuduro”, a festa “Kuduro Sessions” e o projecto de intercâmbio “Os Kuduristas”.
A BRO Cinema é uma produtora que estabelece parcerias com vários países e potencia as sinergias estabelecidas no triângulo Portugal – Brasil – Angola, para desenvolver projectos orientados para o mercado global. O “Hot Docs” é o maior festival de documentários da América do Norte, realizado anualmente, desde 1994, em Toronto. A edição do ano passado registou um público recorde de quase 180 mil pessoas.
Este ano, estão à disposição do público 197 películas, entre as quais “O Próprio Filho da Internet”, “Favelas: As Cidades do Amanhã”, “O Escritor Sem Mãos”, “Antes da Queda da Última Cortina”, “A Ucrânia Não é Um Bordel”, “Os Imortais”, “O Acordo”, “Whitey: O Caso dos Estados Unidos da América Contra James J. Bulger”, “Bronx Obama”, “A Teoria da Felicidade” e “Nelson Mandela: O Mito e Eu”.

Similar Posts