Celebridades

Infância de Jordan marcada pelo racismo

Na biografia lançada na terça-feira intitulada de “Michael Jordan: The Life”, o maior jogador de basquetebol de todos os tempos conta como sofreu a discriminação racial na infância e acabou enfurecido e com raiva dos brancos.

Jordan fala de um caso específico, na escola, em 1977, quando uma colega lhe chamou “preto” em tom de desprezo. “Atirei-lhe com um refrigerante. Naquela altura considerava-me racista, era contra todas as pessoas brancas”, afirmou o ex-jogador, agora dono do Charlotte Bobcats. O jornal “New York Post” teve acesso a trechos do livro antes do lançamento e relatou a frase de Jordan. O episódio com a colega valeu-lhe uma suspensão da escola e teve de ouvir repreensões da mãe por discriminar as pessoas racialmente. Jordan conta que era um dos dois negros na equipa de basebol do colégio e que foi apelidado de “inferior” por isso.

Similar Posts