Destaque

Insegurança em Luanda causa preocupação

Segundo o novo jornal, muitos populares reclamam sobre a insegurança que tem assolado Luanda. Em Cacuaco alguns munícipes vêem-se mesmo obrigados a mudar de residência devido ao aumento do crime, de acordo com relatos de populares.

De dia é calmo, e noite começam as nossas dores de cabeça. A partir das 18 horas, as pessoas recolhem-se para dentro de casa. Basta um cão ladrar é porque já estamos a ser assaltados. As pessoas continuam a abandonar as suas residências. Neste momento, já há 70 casas vazias.

No entanto, relatos de aumento de criminalidade também vêm de outras áreas, como Morro da Areia, Grafanil, Vila da Mata, Cassequel, Vidrul, Prenda, Samba, Kilamba-Kiaxi e Ramiros. Populares destas zonas, dizem registar constantes assalto a pessoas, viaturas e roubos a residências, muitas vezes seguidos de violações.

Segundo alguns relatos a situação tem ficado cada vez alarmante:

“A Polícia tem aparecido mais de dia, momento que está tudo calmo. Os assaltos e roubos acontecem mais no período da noite”, denunciaram munícipes que, temendo o agravamento da situação, apelam para uma maior intervenção policial O Novo Jornal procurou ouvir uma voz autorizada da corporação no sentido de confrontar as denúncias dos populares bem como apurar as últimas ocorrências registadas durante semana, pela Polícia Nacional em Luanda, mas os nossos esforços foram infrutíferos.

“Lá assaltam muito, violam e matam. Ainda no mês passado, mataram a nossa vizinha que se chamava Bela”, contou o cidadão Pedro à Radio Luanda (RL). O bairro Ngonguembo localizado na zona da Pedreira, município de Cacuaco, possui um matagal abandonado que, de acordo com o interlocutor da RL, se tornou no esconderijo predilecto dos meliantes. A área até algum tempo era local de exploração de inertes e com o abandono do mesmo, os bandidos optaram por torná-lo em seu quartel-general.


Fonte: Novo Jornal

 

Similar Posts