Celebridades

IURD recusa-se a pagar 10 por cento dos 700 milhões de kwanzas

Ivone Teixeira, a porta-voz da Igreja Universal do Reino Deus, afirmou ao Jornal de Angola, que a IURD não vai devolver nem sequer 10 por cento dos 700 milhões de kwanzas, transferidos às contas daquela instituição religiosa, em época de “Fogueira Santa”, no ano de 2016, que serviriam para resolver os problemas espirituais que assolavam o cidadão Adriano Gaspar e a sua família.

O Jornal de Angola enviou um questionário a IURD, e Ivone Teixeira respondeu as questões.

A porta-voz da Igreja fez a seguinte declaração numa das passagens:

“O alegado valor supostamente doado à igreja nunca foi transferido, e a IURD está à disposição da justiça para esclarecer a situação e repor a verdade”.

Ivone Teixeira disse que a Igreja solidariza-se com o lesado e sobretudo as crianças expostas.

Porém, não reconhece a transferência do montante anunciado pelo lesado.

A representante midiática da IURD lembrou que, em 2017, Adriano Gaspar doou, à Igreja Universal do Reino de Deus, vários bens em época de “Fogueira Santa”.

Nomeadamente uma vivenda com vários compartimentos e uma piscina, no município de Viana, em Luanda.

Bem como uma viatura de marca Land Cruizer, que a Igreja já restituiu.

IURD recusa-se a pagar 10 por cento dos 700 milhões de kwanzas

Adriano Gaspar recorreu, alegadamente, no desespero à Igreja para que o ajudassem numa questão pessoal referente a saúde da sua família.

Entretanto, o seu problema não foi resolvido, e o Jornal de Angola questionou a Ivone sobre o que teria falhado.

Esta que respondeu que a IURD não promove a propagação de milagres.

E sim, do evangelho da salvação e mudança de vida, através da prática da palavra de Deus.

Adriano Gaspar também falou ao jornal e explicou a intituição religiosa não respondeu de forma positiva ao seu pedido.

O indivíduo havia endereçado uma carta à IURD, em Setembro deste ano, para reaver pelo menos 10 por cento dos 700 milhões.

IURD recusa-se a pagar 10 por cento dos 700 milhões de kwanzas

No entanto, não obteve qualquer resposta positiva.

“Na altura, queríamos que a Igreja Universal do Reino Deus nos devolvesse pelo menos 70 milhões de kwanzas, para retomar os negócios, mas não tive sucesso”, contou.

Uma vez que está aqui, veja também:

IURD recusa-se a pagar 10 por cento dos 700 milhões de kwanzas no entanto

Similar Posts