Assim que Balotelli apareceu a chorar no banco do Milan, durante a derrota por 3 a 1 para o Napoli, adeptos em redes sociais desconfiaram que ofensas racistas poderiam ter sido o motivo. Mas, de acordo com o site do jornal “La Gazzetta dello Sport”, a razão foi mais pessoal: o atacante estaria decepcionado por não ter conseguido marcar um golo em homenagem à filha Pia.

Balotelli reconheceu apenas na última quarta-feira a paternidade da pequena Pia, de pouco mais de um ano, fruto do seu relacionamento com a modelo Raffaella Fico. O bebê mora com a mãe em Nápoles e, de acordo com a “Gazzetta”, Balotelli havia prometido balançar a rede no Estádio San Paolo para dedicar à menina.

Porém, o atacante foi substituído pelo técnico Clarence Seedorf aos 28 minutos do segundo tempo, sem ter conseguido marcar um golo. As câmeras de TV mostraram o jogador a chorar no banco de substitutos. Após o jogo, o holandês evitou polêmicas com o atleta:

– Não há nada de estranho sobre Balotelli chorar. Há muitas emoções envolvidas, e ele não é o primeiro jogador a fazer isso – disse Seedorf.

Pia nasceu em 6 de dezembro de 2012, meses após o fim do namoro entre o casal. Entre inúmeros desentendimentos e possibilidades de retorno, Raffaella foi à imprensa diversas vezes para afirmar que Balotelli estava sendo um pai ausente e sequer queria ver a criança. Também ocorreram indas e vindas com relação ao teste do DNA, negado ora por ela, ora por ele. Neste mês, enfim, ele aconteceu, confirmando a paternidade do atacante.

O nome da menina é uma homenagem da modelo ao Padre Pio, padroeiro da região italiana de Campania, que tem Nápoles como capital.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.