Celebridades

Livros mais baratos

O Ministério da Educação e a empresa Lusis & Sistep lançaram no Instituto Médio Industrial de Luanda, a Feira do Manual Escolar, sob o lema “O manual vai à escola”, onde foram expostos livros destinados aos alunos do ensino médio das escolas técnicas profissionais da província de Luanda.

Na mostra estão disponíveis 99 títulos e o preço de cada livro é de 1.500 kwanzas. Centenas de alunos acorreram ao auditório do Instituto Médio Industrial de Luanda. Abiude Frederico e Samanta José, ambos com 17 anos, estiveram presentes. Matriculadas no curso de Ambiente, eles escutam atentamente os conselhos da directora do Instituto Médio Industrial de Luanda (IMIL), Philomene Carlos, sobre as vantagens dos livros como materiais de apoio ao estudo. A conversa, no auditório termina e todos os caminhos vão dar à Feira do Manual Escolar, realizada no pátio da instituição, onde também se encontravam muitos encarregados de educação.
Philomene Carlos salientou que os manuais foram feitos de acordo com os programas das disciplinas leccionadas nas várias instituições do ensino médio técnico e profissional. O IMIL foi o ponto de partida, para o lançamento da Feira do Manual Escolar, por ser o maior instituto médio técnico-profissional do país, com 15 cursos médios e dois básicos: electricidade e mecânica.
O instituto tem 46 salas de aulas, 29 laboratórios e 11 oficinas. Os alunos têm à sua disposição os cursos de Energia e Instalações Eléctricas, Electrónica industrial, Electrónica e Telecomunicações, Obras e Construção civil, Mecatrónica, Desenhador e Projectista, Mecânica, Petroquímica e Informática.

A voz dos alunos

Abiúde Quingongo, estudante, considera que os manuais vão ajudar a adquirir conhecimentos e contribuem para a criação de hábitos de leitura. A aluna Natália considera os preços dos livros acessíveis mas Manuel Kakima diz que “os preços são módicos, mas há famílias, como a minha, que têm dificuldades para comprar os livros escolares”.
Rosindo do Rosário, aluno da 12ª classe, acha que os livros são “os melhores amigos do homem”, por isso devem ser estimados preservados. Deodato Silva, encarregado de educação, foi comprar livros para um filho que está inscrito no curso de Petroquímica. “O meu filho é que optou por esse curso e quero dar-lhe todo o apoio. Vim comprar manuais por estarem a ser vendidos a preços baixos”. Levou para casa sete livros.
O professor de Língua Inglesa Henriques Fernandes, considera o livro uma ferramenta importante, por ser um instrumento que ajuda o aluno a consolidar os conhecimentos transmitidos pelo docente: “é uma ferramenta indispensável aos estudantes ao longo da sua formação, para poderem aperfeiçoar os ensinamentos e garantirem uma formação sólida”, rematou.

Similar Posts