Lobito para Cidade Metropolitana

2

Para quem não sabe, uma metróple designa-se por  cidades centrais de áreas urbanas formadas por cidades ligadas entre si fisicamente (conurbadas) ou através de fluxos de pessoas e serviços ou que assumem importante posição (económicapolíticacultural, comercial, etc.) na rede urbana da qual fazem parte. 

 

O Lobito, principal entrada para o Centro e Leste do país, pode tornar-se também na porta para o desenvolvimento em termos de qualidade de vida.O governador de Benguela disse na reunião do Conselho Municipal de Auscultação e Concertação Social que face aos indicadores económicos dos últimos anos é altura de pensar “em transformar o Lobito numa cidade metropolitana”.

Isaac dos Anjos recordou que desde a conquista da paz se verifica surgimento de pequenas, médias e grandes empresas, que se deve reflectir na melhoria da qualidade vida da população.
O governador referiu que “a qualidade de vida envolve o bem-estar espiritual, físico, mental, psicológico e emocional”, relacionamentos harmoniosos com família e amigos e a melhoria dos sectores saúde, educação, habitação, bem como do saneamento básico e do poder de compra.
Isaac dos Anjos salientou que “qualidade de vida”, que serve para avaliar as condições em que se vive, não deve ser confundido com “padrão de vida”, que quantifica a qualidade e quantidade de bens e serviços disponíveis.
O município, disse, continua a registar o surgimento de indústrias e de superfícies comerciais, algumas de grande dimensão, e a desenvolverem-se médias e pequenas companhias que complementam o tecido empresarial.O principal projecto industrial em curso é a construção da refinaria, a Sonaref, referida como uma das mais modernas de África pelo director do programa, Cristóvão da Silva. A refinaria fica num espaço de 42 quilómetros quadrados que foi já desminado, desamatado e vedado.
“A formação e o desenvolvimento são as principais ferramentas de suporte da nossa missão”, disse o governador que realçou a importância “de garantir que cada pessoa faça o melhor”.
A Administração Municipal, disse, deve desenvolver estudos em parceria com Universidade Katyavala Bwila e outras instituições de ensino superior da província para aprofundar os métodos de organização e gestão, bem como de marketing e comunicação e assim promover o desenvolvimento de produtos e serviços na região.
As pessoas, acentuou, tem de ser dos factores mais importantes numa estratégia metropolitana, pois são elas a essência da comunidade.
O governador também disse ser “essencial a promoção de serviços que possam dar resposta a direitos básicos de cidadania e de carácter social”, que proporcionem coesão social e maior igualdade de oportunidades. Isaac dos Anjos realçou que “o crescimento urbano acaba muitas vezes por sobrecarregar os sistemas responsáveis por serviços básicos, como o fornecimento de água, luz, transportes e segurança”.
Como resultado, declarou, aqueles serviços tornam-se “insuficientes ou incapazes de atender a população de forma adequada”.

Transportes públicos

Isaac dos Anjos anunciou que o Governo Provincial vai criar no Lobito rotas de transportes públicos com autocarros a circular entre a zona alta e o centro da cidade.
A zona alta inclui os bairros da Bela Vista, 27 de Março e Alto Liro, além da nova centralidade, e na baixa estão os principais serviços da Administração Pública.
O governador realçou o interesse da criação das rotas de transportes públicos que desencorajam o hábito de se levar a viatura pessoal para a zona baixa e reduzem a circulação rodoviária naquela zona, que regista constrangimentos no trânsito automóvel devido à falta espaços de estacionamento.
O governador disse que “o envelhecimento do tecido urbano, em particular o habitacional, e a falta de espaços no centro para construção de casas colocam questões relacionadas com os investimentos que têm de ser feito fora da cidade”. A Administração Municipal, afirmou, tem de encorajar o investimento privado na zona alta da cidade, onde estão identificados espaços livres destinados à construção de casas e instalação de indústrias.
Nos locais identificados para a construção de casas, prometeu, vão ser criados infra-estruturas e serviços básicos essenciais.

Reabilitação contínua das vias

O governador referiu o interesse de atrair investimentos privados para reforçarem as capacidades do poder público na conservação e reabilitação das vias.
Isaac dos Anjos declarou ser fundamental reabilitar “elementos patrimoniais, como igrejas, monumentos, praças e jardins” para reforçar a imagem e a identidade das cidades e turismo. Na reunião também foram analisados aspectos relacionados com a construção da refinaria e com o Porto, a principal referência económica do Lobito.
O Governo Provincial quer que o Lobito, com 3.648 quilómetros quadrados de superfície e 805 mil habitantes, faça jus ao nome, cuja origem em umbumbu vem da partícula classificativa “olu” e do substantivo “pitu”, ou seja, “a porta”.

Fonte: JornalDeAngola

Comenta Agora!