Destaque

Mais de 30 crianças abandonadas num estaleiro de obra no Sequele

A procura de melhores condições de vida, vindas de outros pontos do país, mais de 30 crianças foram trazidas a Luanda em companhia dos seus pais e agora encontram-se abandonadas num estaleiro que serviu de suporte para as obras de construção da Centralidade do Sequele, segundo fez saber hoje, o Jornal de Angola.

Mais de 30 crianças abandonadas num estaleiro de obra no Sequele

O estaleiro localizado no município de Cacuaco, pertence a empresa chinesa CTC.

No entanto, a denúncia foi feita ao administrador municipal de Cacuaco, Auxílio Jacob.

Mais de 30 crianças abandonadas num estaleiro de obra no Sequele
Administrador municipal de Cacuaco Auxílio Jacob.

Este, decidiu realizar uma visita relâmpago ao local para o apuramento dos factos.

E ao chegar lá, o cenário foi dos piores.

As famílias que lá residem encontram-se sem condições nenhumas.

Entretanto, são vários os habitantes no local, de menores a adultos.

Fabrico de blocos de alvernaria é uma das actividades exercidas por pais de algumas crianças num estaleiro
Créditos: Edições Novembro

Alguns dos adultos lá localizados, foram trazidos do interior do país, para trabalhar na área agrícola.

Mas ao chegar a Luanda, foram expostos a todo tipo de trabalhos, incluindo o garimpo de inertes.

Algumas das pessoas reclamaram da forma como são tratadas pelos chineses, e pediram ajuda as autoridades.

Criação de comissão disciplinar

O administrador Auxílio Jacob, mostrou-se bastante descontente com o que viu no estaleiro.

Este admitiu a hipótese de existência de tráfico de crianças.

No entanto, Auxílio Jacob garantiu propor a comissão de uma Comissão Multidisciplinar, para que se tomem medidas em relação ao grande problema que foi exposto.

Garantiu também envolver uma Acção Social no Instituto Nacional da Criança (INAC) e no Ministério da Construção e Obras Públicas.

Isto para que as crianças e jovens sejam inseridas um ambiente mais saudável.

O administrador também proferiu algumas palavras diante a situação do estaleiro e disse:

“é deplorável, com estruturas abandonadas,

carros queimados, jovens em idade activa para trabalharem,

mas confinados naquele recinto”.

Ademais, Auxílio Jacob também falou com os chineses, e sobre esta conversa, o administrador disse:


“Os chineses confirmaram que os estaleiros estavam fechados

e não sabiam que havia pessoas a residir,

com um número elevado de crianças,

em contentores sem condições de habitabilidade

e com crianças desnutridas”


Contudo, espera-se que tudo corra como o administrador garantiu, e que as famílias sejam mudadas para um sítio melhor.

Uma vez que está aqui, saiba mais sobre o jovem que espancou o própio pai de 56 anos.

Similar Posts