Dji Tafinha diz que o Natal não significa nada para si
Celebridades | Destaque

“Não festejo o Natal, pois significa nada para mim” Dji Tafinha

O músico angolano Dji Tafinha revelou que não festeja o Natal que é considerado o dia da família porque este dia não tem nenhum significado para si.

Dji Tafinha ao contrário de muitos disse o seguinte:

“Eu não festejo o Natal, porque esta data não me diz nada. Não sou do tipo que segue as coisas porque nasceu a ouvir dos outros que assim tem de ser”.

O músico referiu ainda que, as pessoas normalmente chamam o Natal de dia da família e, se assim for, então para Tafinha todos os dias deviam ser considerados “Natal”, porque está sempre com a sua família.

Para além das suas músicas, o cantor é também conhecido pelos seus dizeres que chamam à atenção de muitos.

De recordar que recentemente o músico afirmou que tinha o desejo de se tornar Presidente da república.

Tafinha vendeu a bem pouco tempo a sua mais recente obra discográfica e levou os fãs a loucura no parque da independência.

Sobre Dji Tafinha

Dji Carvalho Júnior, nascido a 05 de Maio de 1986, na cidade de Lucapa, em Lunda-Norte.

Dji ganhou o gosto pela música hip hop nos anos 1998, quando tinha 12 anos.

Nessa mesma época, Tafinha tentava provar o seu talento como rapper, entre os demais que também sonhavam em ter um espaço na música angolana.

Foto de Tafinha
Em 2009, Dji Tafinha recebeu com alegria o seu primeiro filho de nome Djison Kaimir.
Em 2010, Dji Tafinha recebe a má notícia, o falecimento do seu filho.
Após o sucedido, Dji Tafinha lança o single “Cinzas” inspirado no falecido filho Djison Kaimir.
Desde então, o “rapper executivo” faz questão de relembrar o nome do filho nas suas diversas criações artistícas.
Hoje, Dji Tafinha é também “CEO” da produtora “Galaxia” (GLX), considerada uma das melhores produtoras musicais de Angola.

Discografia/ Álbuns

  • Preto no Branco (2008)
  • Hardcore (2009)
  • Independente (2010)
  • Mais Do Que Rap (2012)
  • Ressaca do Amor (2013)
  • Duetos (2014)
  • Independente II (2015)
  • Filho da vitória (2016)

Similar Posts