Celebridades

O amor escolhe sim!

A minha vida nunca foi fácil. Cedo rumei a tropa, primeiro como soldado capturado da UNITA, depois como soldado das forcas governamentais. Não tenho muita idade, mas o que já vi e vivi, dava muito bem para um livro.

A guerra acabou, ainda me lembro quando com os meus 13 anos para ela entrei, era entrar ou morrer. Senti na pele o que se diz sobre destruição e perdas que a guerra causa. Muito cedo perdi o pai e dois anos depois de começar a participar activamente na guerra também perdi a mãe. Foi doloroso, muito doloroso. Das lembranças que guardo da minha mãe, a frase o amor não escolha e das que mais gosto.

O tempo passou, estou hoje com vinte e poucos, ainda sou militar, sou um militar em ascensão. Cada dia conquisto, faço algo. As vezes quando lembro da mãe, fico triste, quem não sabe a minha historia, pensa que fico triste do nada. Hoje mais uma vez aconteceu, fiquei triste do nada, decidi ir a festa e tentar descontrair. E fui.

Não sou do tipo que dança, salta, sou dos que mais aprecia que faz. Ia apreciando ate que a vi. Altura media, cabelo curto e parecia ser como eu, mais apreciava que fazia. Não tinha coragem para la ir, apenas olhava. Ate que por sorte ou azar, tinha ela bem na minha frente. Chegou e disse que tinha notado que olhava muito para ela, como também notou que não tinha coragem, foi ela ter comigo. Tornamo-nos amigos, mais que amigos. Falamos de tudo, contei a minha historia e disse que era um militar em ascensão. Ela também falou dela, por acaso, o pai dela também era militar, disse que sabia o quão disciplinados eram os militares.

Depois daquele dia, não mais paramos de falar. Nos encontramos algumas vezes, éramos namorados, so que não queríamos acreditar e assumir. Não tinha pressa de levá-la para cama, queria ela para ser minha companheira de vida. E tudo dizia que sim, seria.

Passaram três meses desde que nos tínhamos conhecido. Estava feliz. Era quarta feira, mais um dia trabalho. Apresentei-me ao comando e deram-me outra missão, teria de a partir do dia seguinte acompanhar, assistir um General, tratava-se do General Kapipi. Eu não conhecia, mas todos diziam que era como uma lenda nas FAA e que era muito rigoroso.

No dia seguinte comecei na minha nova função. Era motorista, assistente, enfim, um faz tudo do senhor General. Depois de uma saída logo cedo, estávamos de volta a casa do senhor general. Depois do almoço, estava novamente apostos para uma eventual saída… Esperava ao lado do carro enquanto apreciava e admirava o quintal, quando a vi. Era ela, de chinelas e roupa caseira; ela sorria mas ao me ver, seu ar mudou, notei decepção no seu olhar. Fez-me sinal de olá e entrou num dos compartimentos da casa. Desde aquele momento, não mais voltei a falar com ela; não respondia as sms e não atendia as chamadas.

Fiquei revoltado. Depois de duas semanas, não agüentei, fui a sala a fim de falar com ela, mas não foi necessário. Ia chegar quando ouvi, ela que conversava com a prima, a dizer que apesar de gostar, não podia, não tinha como… – Ele é apenas um soldado! Finalizou.

Depois de ouvir isto, não foi preciso pensar muito para perceber que falava de mim, de nos. Frustrado, apenas pedi ao chefe para sair mais cedo. Fiquei mais uma vez triste do nada… e ao lembrar das palavras da minha mãe que dizia o amor não escolhe… Reprovei… O amor escolhe sim, mãe.

 

A BweVip faz assim mais um convite a reflexão. Quantas vezes fizemos calar o coração para dar azo a razão… Porque tem mais dinheiro, porque é deste nível ou porque tem as connections? O coração devia ser livre, devia ser autônomo nas escolhas, mas o que ele se tornou? Pense e responda, o amor escolhe ou não?

Similar Posts