A publicidade nas ruas de Luanda está fora de controlo

0
[adrotate group="4"]

 

Muros, paredes de instituições públicas, paragens de autocarros, cabines eléctricas e pilares de edifícios em Luanda continuam a sofrer ataques de vandalismo.

O que se vê um pouco pela cidade capital são ruas com paredes manchadas com cartazes ou folhetos de publicidade sobre festas, espectáculos musicais, anúncios de cursos, venda de casas e terrenos.

download
Sem regras, “os publicitários” têm, nos muros, paredes e pilares, os espaços preferidos. São milhares de cartazes fixados nas paredes. Mas depois ninguém os tira. Uns são rasgados, outros são tapados por novos.
As paredes de moradias também costumam ser alvo de publicidades gratuita, como disse o morador da Samba, Bernardo Mendes. Logo de manhã, depara-se com a parede da sua casa cheia de cartazes. É já uma rotina. Por mais que limpe, os cartazes e folhetos voltam a aparecer. A casa está bem localizada e isso facilita os objectivos dos publicitários: a divulgação dos seus produtos, festas e serviços.
O jovem Bernardo Mendes disse que a “febre” da publicidade nas paredes das ruas começa às quintas-feiras, em vésperas da realização das famosas festas temáticas ou espectáculos.
A “operação publicidade nas paredes”, como conta, é mais frequente no período da noite.
Os agentes “publicitários” dizem que a publicidade em jornais, revistas, rádios e televisões, é muito cara. Por isso optam pelos muros e paredes. Os coladores de cartazes até usam a ponte do Zamba II, mesmo nas barbas dos agentes da esquadra móvel ali instalada. Não há quem os faça parar. Bernardo pede ao Governo Provincial de Luanda que tome medidas para punir tais actos que mancham a imagem de Luanda.   Quem circula pela Alameda Manuel Van-Dúnem, pela Rua Cónego Manuel das Neves, Bairro de São Paulo, Maculusso como tantas outras avenidas e ruas de Luanda, pode observar paredes de escolas, edifícios, pontes, passagens aéreas e paragens de transportes públicos, sujas e manchadas com folhetos e cartazes de publicidade.
Os muros, as paredes das casas, as paragens de transportes públicos, tudo serve para anunciar a “Noite do teu mambo”, a “Festa da quicuanga sedutora” ou a “Festa encosta na mulher do outro com aroma deslumbrante”. A publicidade nas ruas de Luanda está fora de controlo.

download (2)

 

 

Jornal de Angola

 

 

[adrotate group="4"]
Comenta Agora!