Celebridades

UNITEL conquista “Leões de Ouro”

Os negócios na Feira Internacional de Luanda encerraram ontem. Para a organização e as empresas expositoras, o balanço é positivo.

Também foi positivo para países como a Alemanha e Itália, cujos representantes garantiram o regresso na próxima edição da Feira Internacional de Luanda, na medida em que permitiu efectuar contactos para estabelecer parcerias. Mais de 90 por cento dos expositores, de acordo com inquérito produzido pela organização da Feira, manifestaram o interesse em participar na edição 33 de 2016.
De acordo com dados fornecidos pela organização à imprensa, a qualidade dos contactos estabelecidos durante a Feira aberta terça-feira está situada nos 68 por cento, a pretensão de investir e de se reinvestir em futuros projectos no país está na ordem dos 94 por cento.
Quanto à consideração de a Feira influenciar positivamente os negócios dos expositores, 96 por cento dos participantes disse que “sim”. Até ontem, dia mais agitado e durante o qual mais gente acorreu ao recinto da Filda, a organização tinha contabilizado 65 mil visitantes contra os 48 mil visitantes de sábado.
O gestor de feiras da FIL, Francisco Coutinho, disse que “a partir dos sectores de máquinas e equipamentos deu para notar o dinamismo” dos expositores e o interesse dos empresários locais.
Coutinho referiu que o destaque para a actual fase, que apela à diversificação da economia, foi para o sector de máquinas e equipamentos, com empresas como Iveco, Vecauto e a Empresa Angolana de Veículos e Automóveis.
Ainda no âmbito da promoção do sector não petrolífero, a carpintaria Quimbele, que arrebatou o Leão de Ouro da indústria transformadora, pretende apostar na exploração e transformação da madeira em produtos acabados e com qualidade, como portas, mobiliário e outros equipamentos.
Francisco Coutinho lembrou que a participação das empresas do ramo das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) tem crescido consideravelmente nos últimos dez anos. “O crescimento e expansão das empresas nacionais Unitel, Movicel, TV Cabo, Zap, Multitel e Angola Telecom revelam bem isso”, disse.
Na banca houve também esse compromisso de apoio à diversificação da economia. A Administração Geral Tributária (AGT) promoveu em plena Feira a emissão de novos cartões de contribuinte. “Esta foi uma oportunidade ímpar e funcional”, disse.
O porta-voz do stand da AGT, Lussanga Miakongo, disse ao Jornal de Angola que foram emitidos um total de 3.500 novos cartões de contribuinte, no âmbito da campanha realizada desde o início da Feira Internacional de Luanda, terça-feira, até ao seu encerramento ontem.
As seguradoras seguiram o mesmo diapasão ao promoverem a adesão à apólice de seguro também em plena Feira. O gestor de feiras disse que tudo isso foi possível dado o compromisso das empresas face ao actual cenário do país, que exige criatividade. A Itália atendeu ao apelo do Executivo quanto à diversificação da economia com um pavilhão preenchido por empresas do segmento da agricultura, agropecuária, indústria agro-alimentar e equipamentos e máquinas agrícolas. “Os contactos foram frutíferos entre as empresas angolanas e italianas e daí vão nascer parcerias fortes e promissoras”, disse o gestor.

Similar Posts