Celebridades

Zuckerberg: A Internet deve ser tão acessível como o 112

convicção é de Mark Zuckerberg, fundador do Facebook, recordando que só um terço da população mundial está ligada à Internet, uma realidade que a empresa quer ajudar a mudar.

Num artigo de opinião publicado esta segunda-feira no The Wall Street Journal, o responsável sublinha o papel que a Internet pode assumir hoje na vida de cada pessoa e os contributos que pode dar no desenvolvimento pessoal e profissional.

Zuckerberg reflete sobre as razões para que a Internet não seja hoje já um bem mais difundido e conclui que, pior que a falta de infraestruturas de acesso, é o preço dos planos de dados.

“Toda a gente pode ligar para o 911 [112 na Europa] para pedir cuidados médicos ou denunciar um crime, mesmo que não tenha um plano tarifário ativo”, destaca Zuckerberg no artigo de opinião. “No futuro toda a gente deveria ter acesso a serviços de Internet básicos também, mesmo que não tivesse pago por um plano de dados”.

O Facebook tem procurado assumir um papel de liderança nesta área, envolvendo-se em várias iniciativas, a mais mediática das quais a Internet.org, que pretende levar Internet aos próximos 1.000 milhões de utilizadores.

A iniciativa junta várias empresas e já começou a dar frutos. Um dos resultados é a oferta de acesso à Internet para utilização de serviços como o Facebook a quem não tem planos de dados ativos.

Similar Posts